Tirou do meio de nós, cravando-a na cruz...

Em Colossenses  cap.:2 e verc.: 14  lemos;
Verc14: Havendo riscado a cédula que era contra nós na suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz.



O Adventismo do sétimo dia diz que a lei cerimonial é que foi cravada na cruz, porque o que era contra nós consistia de rudimentos fracos e pobres, logo, não podia ser o sábado semanal, que é registro de um fato passado, histórico.

RESPOSTA APOLOGETICA: Os Adventistas porem, se esquecem de que a redenção do cativeiro egípcio era também uma sombra, embora fosse um fato histórico: o sacrifício de Jesus para redimir a humanidade do cativeiro da morte espiritual (1Co 5.7). Além disso, é importante apontar que alguns teólogos adventistas entendem q o consenso unânime dos comentaristas é que estas três  expressões representam uma lógica e progressiva seqüência (anual mensal e semanal). Este ponto de vista é valido pelas ocorrências desses termos. Um outro significativo argumento contra os sábados cerimoniais é o fato de que de que estes já estão incluídos nos “dias de festas” (ou festividades – no original).
Esta indicação positivamente que a palavra sabaton, como é usada aqui, não pode referir-se aos sábados cerimoniais anuais. Além disso, devemos considerar que o texto fala que a cédula que era contra nós, nas suas ordenanças, não podia ser ligada a cerimônias e rituais, por terem sido estabelecidos em favor dos homens                  (Hb 5.1-3). A propósito a senhora White interpreta a palavra “ordenanças” de modo a referir-se justamente e diretamente ao sábado semanal. Diz ela: “Desta maneira indica o profeta a ordenanças que tem estado esquecida: levantaras os fundamentos [...]Se desviares os teus pés do sabado...”.

Proxima
« Anterior
Anterior
Próximo Post »

Postagens populares