Somos cópias imperfeitas de um Único modelo perfeito, Cristo!

"Façamos o homem à nossa imagem, e conforme a nossa semelhança".                                 (Gênesis 1.26).


Apesar de termos herdados as características dos atributos comunicáveis de Deus, como raciocínio, bondade, amor, misericórdia, santidade, paz, vontade, liberdade, beleza, conhecimento, sabedoria, justiça e zelo, temos uma natureza humana decaída herdada desde o Édem e, por isso somos sempre tendenciosos ao pecado. Parece complicado entender, como alguém que é uma cópia de um modelo perfeito como Cristo, pode ser tão imperfeito e cometer as vezes repetidamente os mesmo erros, já tão conhecidos nossos. De fato, parece contraditório  sem propósito, contudo Deus na sua perfeita e soberana vontade nos criou dotados de liberdade, para discernirmos e escolhermos nossos próprios caminhos, apesar de perscrutados por Ele, como Pai zeloso que é, e que não afasta de nós Sua mão poderosa.
Nosso Deus tem cuidado de nós, até mesmo nessas falhas constantes, com o objetivo de nos tornar ainda mais parecidos com Cristo, em santidade e amor, para que cheguemos a estatura perfeita da fé que em nós foi colocado no dia da nossa salvação, e para que possamos crescer como homens e mulheres que decidiram obedecer e cumprir a vontade de Deus.



Mas é de suma importância reconhecermos nossos erros, falhas e limitações como imitadores de Cristo, para que não nos tornemos arrogantes nem pretenciosos, nem crentes s.s. (super santos), como muitos se denominam por aí, sabendo que aquele que pensa estar em pé tenha cuidado para que não caia, como aconselhou o apóstolo Paulo, e ainda se alguém vier a cair, que sejamos santos o suficiente para ajudarmos nosso irmão a levantar-se, para que não aconteça com ele o que houve na parábola do bom samaritano (Leia em Lucas 10: 25-37), em que o sacerdote vendo um homem caído passou de largo, e também o levita fingiu que não o viu no chão, aí vendo ele um bom samaritano, ou seja alguém que não era "crente" aparentemente, vendo-o caído a chão e ferido, se apiedou dele, e foi ajudá-lo, curando suas feridas, colocando-o sobre seu próprio meio de transporte, levou-o para uma hospedaria, tratou dele e ainda gratificou o dono da hospedaria por continuar cuidando daquele homem, até ele ficar sarado.

Não sei você, mas falo por mim, algumas vezes me pego sendo tendenciosa a ignorar algumas pessoas que encontro pelo caminho, aquelas que estão feridas, desorientadas, acidentadas, carentes, solitárias, os que estão com problemas, e em alguns momentos tenho vontade de passar de largo também, e fingir que não a ví, mas agradeço a Deus por que na maioria das vezes me recordo dessa passagem e nesse ínterim, retorno ao caminho para tentar resgatá-la, hoje faço isso com maior clareza e amor, porque quando estive doente, presa em minhas cadeias do passado, caída pelo chão, alguém me estendeu a mão, me ajudou a levantar, ou me colocou nos braços, e me levou para o hospital, onde fui tratada e sarada, e esses alguéns foram pessoas reais, humanas, não foram anjos não, pessoas até não cristãs, que não professam nenhuma religião, mas que me amaram mais do que os meus irmãos, e outros que também eram irmãos mas que como eu também tinham suas feridas, mas se esforçaram para me ajudar em momentos insuportáveis até. Agradeço a Deus por essas vidas que me pastorearam e me amaram, e cuidaram de mim e da minha casa, e que não temeram perder seu precioso tempo, reputação e até mesmo dinheiro, cuidando de pessoas que são falhas e que caem, e se levantam, com a ajuda também desses amados irmãos. Por isso, querido e amado leitor que ao encontrarmos pelo chão os debéis na fé, os que tropeçam e caem pelo caminho, porque muitas são as armadilhas do inimigo de nossas almas, possamos exercer compaixão e amor, e praticar o que tanto pregamos para que os outros façam, que a começar em mim, esse amor seja evidenciado!

Proxima
« Anterior
Anterior
Próximo Post »

Postagens populares